Neuropsicanálise – A Fraude Ataca de Novo

NEUROPSICANÁLISE, A FRAUDE ATACA DE NOVO O POVO

Prof. Jacob Bettoni, Autor de Revolução de Paradigma na Psicologia

 “Cientistas muitas vezes estão interessados não em promover, mas em obstruir o progresso” Thomaz Kuhn

 ALERTA: O Homem evoluiu das cavernas até o espaço sideral graças aos pioneiros. Isso porque, em todas as épocas, sempre existiram os reacionários  que tentaram impedir o progresso científico através dos conhecidos artifícios do olho do furacão, efeito camaleão, efeito tapetão e terreno minado.  Esse artigo é um alerta contra o crime de lesa-ciência praticado por alguns retardatários intelectuais que tentam macular a neurociência com a Psicanálise, com o artifício de uma mancha preta chamada neuropsicanálise. Se você é um pioneiro que acredita no progresso e é contra o retrocesso da ciência, considere-se convocado. Não estão brincando com nosso patrimônio, nem com nosso saldo bancário, mas com nossa maior riqueza: nosso pensamento que ocorre na interface mento-cérebro.

Ler mais

Dúvidas Sobre Abordagens Noergológicas

INTRODUÇÃO: Revoluções de paradigma sempre provocam choque civilizatório do paradigma emergente com o paradigma vigente. É compreensível que as pessoas consideradas “cultas e comprometidas com teorias e práxis do velho paradigma” tenham mais facilidade de encontrar  explicações afinada com teorias do velho paradigma e ao mesmo tempo, maior dificuldade em compreender teorias e práxis do paradigma emergente. Esta recorrência histórica pode ser observada em inúmeros exemplos: foram os doutores a) em geocentrismo, que condenavam o heliocentrismo; b) e em imobilidade sanguínea que condenavam a teoria circulatória do sangue, etc.

Ler mais

Teoria do inconsciente: porque engana tanta gente

ARQUEOLOGIA DO INCONSCIENTE

SUMÁRIO: A civilização homérica fez as duas maiores descobertas da humanidade: a) Ser Humano Pensa; b) a mais eficiente técnica de escravizá-lo é através do seu próprio pensamento. Foi assim que, no século IXAC deu-se a “descoberta” do inconsciente, isto é, da técnica de psicocracia permitindo que uma casta privilegiada manipulasse o pensamento da casta subalterna: olimpianos dominando cavernícolas. Foi assim que surgiram os conceitos de TER CONSCIÊNCIA (produzir pensamento e conhecimento com autonomia e intencionalidade) e SER INCONSCIENTE (não dispor dessa autonomia). O primeiro atributo citado é DIREITO POLÍTICO OLIMPIANO DA ARISTOCRACIA; O segundo atributo era OBRIGAÇÃO POLÍTICA DOS CAVERNÍCOLAS. Tal jurisprudência continuou sendo manipulada até o ponto em que gerações posteriores, que se julgavam mais avançadas do que a helênica, confundiram esses conceitos políticos com inexistentes mecanismos psicológicos, que até nossos dias continuam sendo utilizados para a execranda prática da psicocracia.
Ler mais

Neuropsycoanalisy, the fraud is back

Scientists, oftentimes, are more concerned with obstructing rather than promoting progress. (Thomas Khum)

Neuropsychoanalysis was created by a group of psychoanalysts with the purpose of trying to prove that modern neuroscience proves psychoanalysis when the opposite is true.  Every experiment used by psychoanalysts strongly denies any validity of Freud’s theory, since all of them place all mental activity on brain rather than sex.
Ler mais

Bruxaria e Psicanálise


“tudo se resumia a substituir o demônio por uma fórmula psicológica” (Freud)

 “Fliess, o que é que você diria se eu contasse que toda a minha nova teoria da histeria era conhecida e tinha sido publicada centenas de vezes, e há vários séculos? Você se lembra como eu sempre disse que a teoria medieval da possessão demoníaca, sustentada pelos tribunais eclesiásticos, era idêntica à nossa teoria de um corpo estranho e de uma divisão na consciência. tudo se resumia a substituir o demônio por uma fórmula psicológica?”[1]  Data e Assinatura; Viena, 17 de janeiro de 1897, Sigmund Schlommo Freud

Ler mais

Comportamento violento

COMO TREINAR COMPORTAMENTO VIOLENTO – A mente assassina
COMPORTAMENTO VIOLENTO É EFICIENTE E NÃO DEFICIENTE: Comportamentos eficientes tais como assassinatos brutais ou atos de terrorismo exigem para a sua boa execução memórias de alta qualidade – meganes – e não memórias de péssima qualidade (reprimidas) como imaginava o velho PPP – Paradigma do Passivismo Psíquico, que enxergava o Homem de cabeça para baixo. Ler mais