Glossário – Letra V

1. VONTADE: capacidade de escolher informações, comandos ou arquivos de memória já existentes. Metafísica, Escolástica e Psicanálise confundiram vontade como coisa divina ou consciente e imaginação como atributo diabólico e inconsciente, enganando a humanidade com o falso conceito de que a vontade seria a função humana mais essencial e mais importante, características que pertencem à imaginação.

Glossário – Letra I

1. IDÉIA MEGANÉRGICA ou MEGANE: idéia altamente carregada de noergia criada por ideoplasia, que o antigo paradigma do PPP chamava de inconsciente.

2. IDEOPLASIA: O termo ideoplasia foi criado em 1884 por Ochorowicz. Este termo se aplica à realização fisiológica de uma idéia mental. Os dois últimos termos grifados podem parecer pleonasmo. Todavia deixam claro que a idéia iniciada em primeiro lugar no sistema mente-cerebro é, na seqüência executada pelo corpo e pelo comportamento. O aparente pleonasmo refuta a idéia vigente na época, e hoje encarnada no inconsciente metapsicológico, que define o mental como subproduto da esfera sexogênica.

Ler mais

Glossário – Letra H

1. HISTERIA: Hipócrates, o Pai da Medicina, inseriu na ciência crenças gregas de que o útero se ejetava da sua posição anatômica, excursionando pelo corpo fabricando a histeria especificamente e o psiquismo genericamente (energia invasora). A autoridade hipocrática é responsável por teorias que durante séculos (bruxaria e psicanálise) explicaram o psiquismo como isomorfo do sexo e de outras obtusas energias invasoras e não do cérebro.

2. HOLOCENTRADO: é o observador da noergologia, ecologicamente participante, sem imunidade científica, interatuante, interagente. Tal qual o observador quântico ele altera e é alterado pelo que observa. Jamais teria nem terá autoridade nem imunidade suficiente para denominar o gesto, a ação ou o discurso do seu parceiro de transferência, ou resistência.

viaInstituto de Noergologia – Pensamento não é inconciente, é criador.

Glossário – Letra F

1. FASES PARADIGMÁTICAS: são três: Estimulante, Paralisante e Revolucionária.

2. FEITO POROROCA: embate entre atores e idéias na fase revolucionária do paradigma.

3. FENÔMENO: fato observável despido de descrições. Pensamento ou comportamento tipificado e singularizado.

4. FILOCRÁTICO: saber criado por agentes de poder, principalmente corporações profissionais, com o único objetivo de consolidar o próprio poder.

5. FRAUDES CIENTÍFICAS: decorrem da manipulação de dados científicos por parte de militantes de paradigmas na fase paralisante, produzindo conhecimento fraudado como o geocentrismo depois de Copérnico, a perseguição ao descobridor da vacina antivariólica, o complexo de Édipo e mais recentemente a neuropsicanálise. Os artifícios mais usados n construção de fraudes científicas, fenômeno previsto por Thomaz Khun, são as técnicas do OLHO DO FURACÃO, TAPETÃO E CAMALEÃO.

viaInstituto de Noergologia – Pensamento não é inconciente, é criador.

Glossário – Letra B

1. BATERIA RORSCHACHIANA: psicoteste constituído de cartões com desenhos aleatórios. A mesma teoria diz que: a) quando o examinando olha para esses desenhos projeta o seu inconsciente; b), mas quando o examinador olha para o desenho do teste da árvore emite laudos conscientes aporia flagrando o preconceito do PPP contra a imaginação.

2. BIAS: conjunto de idéias preconcebidas; soma de preconceitos.

3. BIÓTICA: ciência que resulta da associação da biologia e da informática. Aplica-se principalmente à criação das interconexões entre o cérebro humano e os computadores.

4. BIUNÍVOCA: relação de dois valores mutuamente reversíveis.

viaInstituto de Noergologia – Pensamento não é inconciente, é criador.

Glossário – Letra D

1. DIABO: Sócrates dizia que tinha dentro de si o seu diabulus. O axioma cabalista é Daemon est Deus inversus. Demônio é diferente de diabo, palavra grega que significa gênio, embora, comumente, as consideremos sinônimos. Satã em hebraico é o mesmo que diabulus em latim. Nos tratados de ciências herméticas, o termo grego Daemon simboliza divindade e, nunca, a pressuposta interpretação das religiões dualistas, que a aplicam com o fim de amedrontar os prosélitos. Na teoria da Bruxaria representava poderosas entidades energéticas que invadiam, dominavam e conquistavam o corpo e o cérebro, escondendo-se na imaginação das suas vítimas, de onde controlavam todo o pensamento e comportamento. Daí a necessidade de psicanalisar o esconderijo do invasor.

2. DIFERENÇA DE POTENCIAL NOÉRGICO: O estudo do isomorfismo pensamento-cérebro permitiu esclarecer os fenômenos da noergia, da Infocinética e da neuroeletricidade, observando-se diferentes potenciais noérgicos em vários fenômenos do sistema mente-cerebro. O desconhecimento desses mecanismos levava o PPP a confundi-los com inconsciente.

3. DIMENSÕES DA REALIDADE: Percepções da realidade criada pelo sistema mente-cerebro ativo e criador.

4. DIVERGÊNCIA PERCEPTIVA: Percepções são criações noérgicas exclusivas, por isso rigorosamente falando sempre existe divergência perceptiva. Todavia o termo é usado em Noergologia para significar as divergências perceptivas que eram equivocadamente chamadas de inconsciente pelo velho paradigma do PPP. Exemplo comum era dizer que o paciente em coma estava inconsciente ou o aluno hiperativo tinha déficit de atenção. Tanto a atenção desse aluno era apenas divergente da percepção do professor, quanto a percepção do paciente em coma é divergente da pessoa em estado de vigília. Todas estas dimensões perceptivas são legítimas: dizê-las conscientes é redundância e carimbá-las de inconsciente é utopia. Por isso os dois semantemas – consciência x inconsciência e seus adjetivos foram abolidos em Noergologia.Isso evitará que o divergente perceptivo: a) quando aluno receba um estigma: b) quando em coma receba a pena de morte; c) quando dissidente comportamental receba voz de prisão nosocomial.

viaInstituto de Noergologia – Pensamento não é inconciente, é criador.

Glossário – Letra S

1. SABARES FALSIFICADOS: conceitos ou teorias que, mesmo depois de comprovado o seu erro, continuam sendo divulgadas como se fossem verdadeiras, apenas por comodismo, corporativismo, poder ou dinheiro. Exemplo: teoria demogênica da varíola depois do pox vírus, complexo de Édipo, interpretação dos sonhos de Freud depois da polissonografia. Geocentrismo depois de Copérnico, repressão depois de Elizabeth Loftus demonstrando que psicanálise produz MEMÓRIA FORJADA.

Ler mais

Glossário – Letra O

84.   OLIMPIANO: designativo do observador do PPP inspirado nos habitantes do Monte Olimpo, desfrutando de imperial e privilegiado posto de observação, subjugando o fenômeno, olhando-o de cima e de fora e imaginando-se dotado de imunidade científica não contaminante. Suas intervenções produzem típicos saberes dependentes de par. Consciente explorador (particular negativa) do inconsciente do cavernícola (universal afirmativa), de tal sorte que cada enunciado baseado no PPP é uma aporia.

Ler mais