Glossário – Letra M

1.   MALLEUS MALEFICARUM: Manual de caça às bruxas demonstrando, com provas científicas para a época, de que forma a energia invasora incubal conquistava o homem passivo, fabricava o seu pensamento e capturava a sua imaginação.

2.   MATÉRIA: energia capturada gravitacionalmente num conjunto de conexões.

3.   MEDITAÇÃO: função noérgica caracterizada pelo aumento da voltagem cerebral, com predomínio de alfa chegando até delta na meditação profunda e que permite a criação de dimensões de realidade independente de informações do mundo físico.

4.   MEGANAÍNA : O PPP as chamava de instintos, nome que deve ser evitado por estar contaminado de passivismo deformador do seu mecanismo. MEGAÍNAS são arquivos de memória criados ativamente ao longo da evolução em função do seu uso intenso: lutar, fugir, comer, beber, dormir, copular. As MEGAÍNAS apenas ligam a tomada adrenérgica correspondente a uma das ações mencionadas. Por ex: a MEGAÍNAS para lutar diminui a circulação periférica, manda mais sangue para o tórax e braços, aumenta adrenalina e glicose, em suma, deixa você pronto para a luta. Todavia com quem e porque lutar é comandado intencionalmente pelas idéias meganérgicas cultivadas culturalmente durante a existência. Graças às idéias meganérgicas inatas e adquiridas desfrutamos de eficiência e rapidez na execução da ação contida potencialmente na respectiva memória.

5.   MEGANE, MEMÓRIA MEGANÉRGICA, IDÉIA MEGANÉRGICA: memória altamente carregada de noergia criada por ideoplasia, que o PPP chamava de inconsciente.

6.   MEMÓRIA FORJADA: memória verdadeira de fatos falsos. A psicóloga Elizabeth Loftus identificou que terapeutas baseados no mito da repressão podem induzir pessoas à “lembrar” fatos que nunca aconteceram. Ao fazer imaginar os detalhes de um “evento” que nunca aconteceu, o terapeuta está implantando no sistema mente-cerebro do cliente a certeza de que tal fato ocorreu. A psicanálise criou a “indústria da memória reprimida” de eventos traumatizantes, fazendo muitas mulheres imaginarem que foram repetidamente abusadas sexualmente quando crianças. As memórias “resgatadas” com ajuda do analista podem parecer pura loucura: a norte-americana Nadean Cool “lembrou” ter participado de um culto satânico no qual se comiam bebês, de ter feito sexo com animais e de ser forçada a presenciar o assassinato de sua amiguinha de oito anos. Ela também foi à justiça contra seu terapeuta e recebeu US$ 2,4 milhões de indenização por psiatrogenia. Loftus, professora da Universidade de Washington, em Seattle (EUA) e presidente da Sociedade Psicológica Americana, diz que esse “mito da memória reprimida” está prejudicando a imagem dos terapeutas e das vítimas reais de abusos sexuais reais na infância, que passaram a ser desacreditadas. A recomendação de Loftus de que “O paciente não deve sair com um problema a mais além daquele com quem chegou”, é um dos princípios básicos da Noerobica®. Loftus descobriu que um terço dos psicoterapeutas rotineiramente usa alguma técnica psicanalítica facilitadora do implante de memórias forjadas”. Pacientes psicanalíticos estão mais expostos a esta psiatrogenia. Estudos mostram que 89% dos pacientes aumentavam a confiança na memória forjada após ficarem expostos a uma sessão de apenas meia hora de interpretação psicanalítica de sonhos. Sabe-se agora que tais interpretações são na realidade excelente técnica de implantação de memórias forjadas. Implantadoras. Loftus e colaboradores fizeram vários experimentos de “implante” de memória, criando “lembranças” que não seriam traumáticas após ser revelado que se tratavam de invenções. Eram memórias como “você se perdeu em um shopping center quando tinha cinco anos”. Para determinar se de fato algo assim havia ocorrido ou não, era pedida a ajuda dos pais do entrevistado. Após apenas três entrevistas indutoras de falsas memórias, 25% dos participantes não só insistiam que haviam de fato se perdido num shoping quando crianças, mas, além disso, descreviam detalhadamente as circunstâncias em que teria ocorrido o evento falso da memória forjada. Loftus também estudou o papel do terapeuta na formação da “memória”. Noergologia evita este grande risco para a deterioração mental dos clientes, com os axiomas do cientista holocentrado, da noesis ativa, e da imaginação comandando noergia, bem como, com os mais atualizados conceitos de MEMÓRIA, MEMÓRIA MEGANÉRGICA.

7.   MEMÓRIA: arquivos de memória criados noergicamente, amplificados pela imaginação e posteriormente armazenados em estruturas neurais.

8.   MERICA – práxis que sistematiza e replica os mecanismos criadores da imaginação

9.   METAPLASIA: inundação macro-cultural das aporias psicanalíticas, contaminando grande parte do pensamento humanista ocidental, fato análogo ao ocorrido com a bruxaria.

10.   MICROFÍSICA DO PODER: fenômeno interpessoal descrito por Michel Foucault como uma extensão do poder macrofisico (entre Estado e cidadãos). O poder microfísico se capilariza, se dissemina, se manifesta cotidianamente em níveis ou camadas diversas, entre grupos e entre pessoas.

11.   MNÉSICO: mnemônico, referente à memória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *